‘Vocês estarão mostrando quem manda no Brasil’, diz Bolsonaro a apoiadores sobre 7 de Setembro

'Vocês é que devem dar o norte aos que estão em Brasília. Esse norte será dado com mais ênfase no próximo dia 7', declarou

Foto: EVARISTO SA / AFP

Foto: EVARISTO SA / AFP

Política

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira, 31, que, no próximo dia 7, feriado da Independência e quando estão previstas manifestações em favor do governo, quem seus apoiadores “estarão mostrando quem manda no Brasil”.

O chefe do Executivo discursou para simpatizantes em Uberlândia (MG), onde participou de cerimônia de inauguração de complexo de captação e tratamento de água. “Vocês é que devem dar o norte aos que estão em Brasília. Esse norte será dado com mais ênfase no próximo dia 7”, disse em tom inflamado diante dos presentes.

“Nós daremos retrato para o Brasil e para o mundo dizendo para onde esse País irá. Esse País irá para onde vocês apontarem. Todos nós do Executivo, Legislativo e Judiciário temos obrigação de estar ao lado do povo. Vocês estarão mostrando no próximo dia 7 que quem manda no Brasil são vocês. Nós temos a obrigação de fazer aquilo que vocês determinam”, declarou.

 

Segundo Bolsonaro, os atos em sua defesa são oportunidade de tornar o País “realmente independente” e falou em passar mensagem aos Poderes da República, principalmente ao Judiciário, com o qual se encontra em conflito deflagrado desde que intensificou sua defesa do voto impresso com ataques ao sistema eleitoral brasileiro. Sem citar nomes, fez novas críticas aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) ao dizer que os magistrados impõem suas vontades à população.

“Chegou a hora de nós nos tornamos independentes para valer e dizer que não aceitamos que uma ou outra pessoa em Brasília queira impor a sua vontade. A vontade que vale é a vontade de todos vocês”, disse o presidente.

Reunidos em frente ao Estádio Municipal do Parque do Sabiá, apoiadores responderam ao presidente gritando “eu autorizo”. A frase começou a ser usada por bolsonaristas após o presidente pedir, recentemente, um “sinal do povo” para agir.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem