Justiça

TRE de Santa Catarina rejeita cassação de Jorge Seif por abuso de poder em 2022

A decisão foi tomada por unanimidade nesta terça-feira 7. Cabe recurso ao TSE

Marcos Oliveira/Agência Senado
Apoie Siga-nos no

O Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina inocentou Jorge Seif (PL) em uma ação que poderia levar à cassação do mandato do senador bolsonarista por abuso de poder econômico nas eleições de 2022.

Seif era investigado por supostamente se beneficiar pelo empréstimo do helicóptero de um empresário da construção civil. Ele também teria levado vantagem ao se aproveitar da estrutura e de funcionários da rede de lojas Havan, de propriedade de Luciano Hang, na campanha.

A ação movida por PSD, União Brasil e Patriota alegava ainda que Seif teria recebido financiamento eleitoral de uma entidade sindical patronal ao participar da 21ª Semana de Indústria Calçadista Catarinense, em São João Batista, no Vale do Itajaí.

A decisão do TRE-SC foi tomada por unanimidade nesta terça-feira 7. O julgamento começou em 26 de outubro, quando foi suspenso por um pedido coletivo de vista. Cabe recurso contra a decisão ao Tribunal Superior Eleitoral.

Relatora do caso, a desembargadora Maria do Rocio Ritta concluiu que “não há dúvida de que houve transgressão à jurisprudência do STF, representada pela utilização da estrutura das lojas Havan na campanha eleitoral”. Segundo ela, trata-se de um fato “reprovável”, mas sem “a dimensão apta a concluir tenha afetado a normalidade e legitimidade do processo eleitoral”.

O Ministério Público Eleitoral também defendeu a absolvição.

Ex-secretário da Pesca sob Jair Bolsonaro (PL), Jorge Seif foi eleito senador com 1.484.110 votos no ano passado.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo