CartaExpressa

Toffoli impõe novo revés, nega recurso e mantém Cid no comando do PDT cearense

Este é mais um revés imposto ao grupo liderado por Figueiredo e pelo ex-governador Ciro Gomes

Pedro França/Agência Senado
Apoie Siga-nos no

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, decidiu que o comando do PDT no Ceará continuará com o senador Cid Gomes. O magistrado negou, em despacho assinado em 21 de novembro, um recurso apresentado pela executiva nacional do partido para manter a intervenção no diretório local.

A ação chegou à Corte por meio do deputado federal André Figueiredo, presidente nacional em exercício do PDT. O processo questionava a decisão de um juiz da 1ª instância, que derrubou a intervenção e devolveu o comando da sigla a Cid.

Toffoli não chegou a analisar o mérito da disputa. O ministro considerou que a ordem da 3ª Vara Cível de Fortaleza não violou o entendimento sobre autonomia partidária e ponderou que a sigla deve buscar a reversão da decisão através de recursos cabíveis, não por meio de uma reclamação constitucional no Supremo.

Este é mais um revés imposto ao grupo liderado por Figueiredo e pelo ex-governador Ciro Gomes. Ambos travam uma disputa marcada por vaivéns judiciais com Cid pelo comando do PDT no Ceará.

No centro da briga estão divergências sobre o posicionamento da legenda em relação à gestão do petista Elmano de Freitas e às eleições municipais do ano que vem. A crise, porém, se intensificou no ano passado, devido a divergências em torno da corrida ao governo cearense.

Ciro chegou a afirmar que a relação com Cid, neste momento, é “a pior possível”. Enquanto o senador busca retomar a aliança com os petistas, em troca do apoio na disputa pela prefeitura de Fortaleza, o ex-presidenciável resiste e defende a reeleição do atual prefeito.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.