Política

Tarcísio escolhe vereadora evangélica e bolsonarista para comandar a Secretaria da Mulher

Sonaira Fernandes se apresenta nas redes como ‘a vereadora da família’. Secretarias também terão nomes ligados a Paulo Guedes e a Bolsonaro

A secretária de Políticas para a Mulher, Sonaira Fernandes.
Apoie Siga-nos no

O governador eleito de São Paulo Tarcísio de Freitas (Republicanos) anunciou, nesta quarta-feira 21, mais 12 secretários de sua gestão, levando a 23 as secretarias definidas.

O único nome ainda não anunciado é o do secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação. De acordo com o novo governador, já há uma definição, mas o escolhido tem de se desincompatibilizar do atual cargo, o que deve ocorrer nos próximos dias.

A Secretaria da Mulher foi entregue à vereadora Sonaira Fernandes (Republicanos). Evangélica e conservadora, a parlamentar se apresenta nas redes sociais como ‘a vereadora da família em São Paulo’. Ela foi assessora parlamentar do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) e eleita em 2020 como a única candidata da capital paulista que recebeu apoio total do presidente Jair Bolsonaro (PL). O lema ‘Deus, Pátria, Família e Liberdade’ também é exaltado em sua página.

Durante as eleições, Sonaira compartilhou um vídeo do então candidato Lula (PT) recebendo banho de pipoca em um ritual. A postagem foi compartilhada pela primeira-dama Michelle Bolsonaro e ambas foram acusadas de intolerância religiosa.

Na pasta de Desenvolvimento Econômico, a escolha do governador é Jorge Luiz de Lima, que trabalhou como assessor especial do atual ministro da Economia, Paulo Guedes. Engenheiro mecânico, Lima é sócio e vice-presidente de Estratégias e Negócios do Grupo H, presidente do Conselho Internacional do Brasil Export e membro de diversos conselhos de empresas.

Outro nome ligado ao ministro da Economia a integrar o novo governo é Guilherme Afif Domingos, que, entre 2019 e 2022, atuou como assessor especial de Guedes. Afif foi nomeado secretário especial de Projetos Estratégicos.

José Vicente Santini, assessor especial de Jair Bolsonaro, foi anunciado por Tarcísio como chefe do escritório de representação em Brasília.

Confira os secretários nomeados:

Secretaria de Saúde – Eleuses Paiva
Secretaria de Educação – Renato Feder
Secretaria de Governo e Relações Institucionais – Gilberto Kassab
Casa Civil – Arthur Lima
Secretaria de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística – Natália Resende
Secretaria de Segurança Pública – Guilherme Derrite
Secretaria de Administração Penitenciária – Marcello Streifinger
Secretaria de Comunicação – Lais Vita
Secretaria de Fazenda e Planejamento – Samuel Kinoshita
Secretaria de Desenvolvimento Econômico – Jorge Lima
Secretaria de Negócios Internacionais – Lucas Ferraz
Secretaria de Parcerias em Investimentos – Rafael Benini
Secretaria de Gestão e Governo Digital – Caio Paes de Andrade
Secretaria de Turismo e Viagens – Roberto de Lucena
Secretaria de Políticas para as Mulheres – Sonaira Fernandes
Secretaria de Justiça e Cidadania – Fábio Prieto
Secretaria de Transportes Metropolitanos – Marco Assalve
Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação – Marcelo Branco
Secretaria de Cultura e Economia Criativa – Marília Marton
Secretaria de Agricultura e Abastecimento – Antônio Junqueira
Secretaria de Desenvolvimento Social – Gilberto Nascimento Júnior
Secretaria de Esportes – Helena Reis
Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação – A ser anunciado nos próximos dias
Secretaria Especial de Projetos Estratégicos – Guilherme Afif Domingos
Chefe do escritório de representação em Brasília – José Vicente Santini
Secretaria Extraordinária da Casa Militar e Defesa Civil (compõe a SSP) – Henguel Pereira
Superintendência do DER (compõe a Sec. de Meio Ambiente, Transportes e Logística) –Sérgio Henrique Codelo Nascimento
Procuradoria Geral do Estado – Inês dos Santos Coimbra
Instituto Butantan – Esper Kallás

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo