STF dá 48 horas para Bolsonaro informar medidas contra coronavírus

A decisão do ministro Alexandre de Moraes leva em conta pedido da OAB para que o governo cumpra protocolos da OMS

O ministro Alexandre de Moraes. (Foto: Nelson Jr./SCO/STF)

O ministro Alexandre de Moraes. (Foto: Nelson Jr./SCO/STF)

Política

O ministro do STF, Alexandre de Moraes, determinou na quarta-feira 1 um prazo de 48 horas para que o presidente Jair Bolsonaro preste informações sobre as medidas adotadas para combater o avanço do novo coronavírus. A determinação veio a partir de um pedido da OAB para que o governo cumpra ações orientadas por organizações sanitárias internacionais e nacionais.

Estão entre os pedidos seguir o protocolo da Organização Mundial de Saúde (OMS), respeitar as determinações dos governadores, e não interferir na atuação do Ministério da Saúde.

“Diante da relevância da matéria suscitada, determino sejam solicitadas, com urgência, informações sobre o objeto da presente arguição, a serem prestadas pelo presidente da República no prazo de 48 (quarenta e oito) horas”, escreveu o ministro, na decisão. O Planalto não comentou o assunto.

Nesta quinta-feira, as secretarias da Saúde contabilizam 247  mortes e 6932 casos confirmados. No último balanço do Ministério da Saúde, divulgado na quarta-feira 1, há 241 mortes e 6.836 casos confirmados de coronavírus.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem