Sérgio Moro direcionou operações da PF na Lava Jato, diz Intercept

'Russo deferiu uma busca que não foi pedida por ninguém…hahahah. Kkkkk', escreveu Luciano Flores, delegado da PF alocado na Lava Jato

Sérgio Moro (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Sérgio Moro (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Política

O novo capítulo da série investigativa Vaza Jato, do The Intercept Brasil, mostra que Sérgio Moro, quando juiz à frente da Operação Lava Jato, não apenas se alinhou a procuradores, mas chegou a ordenar operações da Polícia Federal.

Descreve a reportagem do Intercept: “‘Russo deferiu uma busca que não foi pedida por ninguém…hahahah. Kkkkk’, escreveu Luciano Flores, delegado da PF alocado na Lava Jato, em fevereiro de 2016, no grupo Amigo Secreto — se referindo a Moro pelo apelido usado pelos procuradores e delegados. ‘Como assim?!’, respondeu Renata Rodrigues, outra delegada da PF trabalhando na Lava Jato. O delegado Flores, em resposta, avisou ao grupo: ‘Normal… deixa quieto…Vou ajeitar…kkkk’”.

A série Vaza Jato tem mostrado, desde seu primeiro capítulo, que Sérgio Moro, enquanto juiz da operação, atuou de forma irregular, aliando-se a procuradores e policiais de forma parcial. Aponta ainda que o procurador Deltan Dallagnol atuou com um propósito específico: levar Lula à prisão para tira-lo da disputa eleitoral.

 

 

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem