Política

Senado aprova suspensão da dívida do Rio Grande do Sul; texto segue para sanção

Valor economizado com a suspensão deve ser direcionado integralmente para a reconstrução do estado

Sessão do Congresso Nacional em 9 de maio de 2024. Foto: Saulo Cruz/Agência Senado
Apoie Siga-nos no

O Plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira 15 a iniciativa do governo Lula (PT) que suspende a dívida do Rio Grande do Sul com a União por três anos. O texto, que passou com dois votos contrários na Câmara, foi aprovado de forma unânime na Casa Alta.

A proposta, enviada pelo governo Lula como parte das ações para mitigar os estragos provocados pelas chuvas no estado, oferece um alívio imediato de 11 bilhões de reais aos cofres gaúchos. Desde o início dos temporais, 149 pessoas morreram e quase 540 mil estão desalojadas.

Segundo a proposta, o valor economizado com a suspensão da dívida deve “ser direcionado integralmente a plano de investimentos em ações de enfrentamento e mitigação dos danos decorrentes da calamidade pública ou suas consequências sociais e econômicas”.

A partir do dia que passar a valer, o governo do RS terá um prazo de 60 dias, que serão contados a partir da decretação do estado de calamidade pública, para encaminhar um plano de investimentos ao Ministério da Fazenda.

Durante o período de calamidade, o estado não poderá criar novas despesas ou aumentar gastos.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo