Política

Ronaldinho Gaúcho e outros famosos indicados por Bolsonaro têm diploma de embaixadores do turismo anulado

Programa o Embaixadores do Turismo da Embratur é executado de forma totalmente voluntária

Foto: Sérgio Lima/AFP
Apoie Siga-nos no

A Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur) resolveu anular nesta sexta-feira 17 o diploma de “embaixadores do turismo” de 15 celebridades indicadas pelo governo Bolsonaro. Entre as figuras estão o ex-jogador Ronaldinho Gaúcho e o cantor Amado Batista.

Em um documento enviado às celebridades, agência agradece “os relevantes serviços prestados por V. S.ª à Embratur na promoção dos destinos turísticos brasileiros”. As informações são da coluna de Lauro Jardim, no O Globo.

Tiveram o título de embaixadores cancelados:

  • Ronaldinho Gaúcho (ex-jogador);
  • Roberto de Assis (irmão de Ronaldinho);
  • Amado Batista (cantor);
  • Richard Rasmussen (biólogo);
  • Bruno e Marrone (cantores);
  • Romero Britto (pintor);
  • Vitor Belfort (lutador);
    Frederico Lapenda (produtor de filmes e lutas);
  • Carlos Massa, o “Ratinho” (apresentador de TV);
  • Álvaro Garnero (empresário e apresentador);
  • Renzo Gracie (lutador e empresário);
  • Daniel Alves (ex-jogador);
  • Zezé Di Camargo (cantor e compositor); e
  • Pedro Scooby (surfista).

O programa o Embaixadores do Turismo da Embratur é executado de forma totalmente voluntária. Nele, os indicados podem participar de eventos e campanhas publicitárias que promovem o turismo do Brasil no exterior.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.