Política

Relator vota pela cassação do mandato de Cláudio Castro; julgamento é suspenso por pedido de vista

Corte analisa se houve desvios na Ceperj e na Universidade do Estado do Rio de Janeiro no ano de 2022

O governador do Rio de Janeiro, Claudio Castro. Foto:Tânia Rêgo/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

Desembargador Peterson Barroso Simão, do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, relator dos processos que podem cassar Cláudio Castro (PL-RJ), votou pela condenação do governador por abuso de poder econômico e abuso de poder político. O desembargador Marcello Granado pediu vistas (mais tempo para julgar). O prazo é de 10 dias.

“Foi nítido o caráter eleitoreiro. A responsabilidade direta de Cláudio Castro permitiu conduta ilícita”, disse Simão em seu voto. “A quantidade exorbitante em 2022 beneficiou os réus. Está caracterizado abuso de poder político”, completou.

Além de Castro, o magistrado indica que irá pedir as condenações do vice Thiago Pampolha (MDB), do presidente da Alerj, Rodrigo Bacellar (União). Magistrado ainda defendeu uma multa de R$ 106 mil para Castro e Bacellar e de R$ 21.282 para Pampolha

A ação analisada pelo TRE contra os políticos do Rio foi apresentada pelos procuradores regionais eleitorais Neide Cardoso e Flávio Paixão, da Procuradoria Eleitoral do Ministério Público Federal. O ex-deputado federal e atual presidente da Embratur, Marcelo Freixo, também assina a ação.

A Corte analisa se houve desvios na Fundação Centro Estadual de Estatísticas, Pesquisas e Formação de Servidores Públicos do Rio de Janeiro (Ceperj) e na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) no ano de 2022.

Investigações apontaram que os desvios aconteciam por meio de projetos sociais e culturais, como Esporte Presente, Casa do Trabalhador, RJ para Todos e Cultura para Todos.

Somente no primeiro semestre de 2022, Cláudio Castro, então candidato à reeleição, inaugurou mais de 40 Casas do Trabalhador.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo