Política

Reconstrução de áreas destruídas pelas chuvas no RS pode levar até 1 ano, estima Eduardo Leite

Governador elencou as dificuldades atuais para iniciar o processo em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo

Vistoria de áreas atingidas pela enchente em Bento Gonçalves. Foto: LAURO ALVES/SECOM
Apoie Siga-nos no

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), estimou que a reconstrução das áreas destruídas pelas chuvas no estado deve levar de 6 meses a 1 ano. A previsão foi feita pelo político em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo, na noite deste sábado 25.

Na conversa com a emissora, Leite elencou a principal dificuldade no processo neste momento: encontrar terrenos que não tenham sido atingidos por inundações.

“Para as famílias mais carentes, de baixa renda, que perderam suas casas, a gente está já encaminhando a construção de casas definitivas, em modos construtivos rápidos, que são, por exemplo, blocos de concreto”, iniciou Leite. “[Estamos] sempre olhando terrenos que não tenham sido atingidos pelas inundações, sempre olhando uma reconstrução que tem que respeitar essas novas condições climáticas, o novo patamar que o rio tenha alcançado. Então, essa reconstrução precisa ter esse olhar também”, elencou, em seguida.

Essa seleção de terrenos e modelos de casas definitivas, diz, ‘leva tempo’, ao citar o prazo estabelecido pela sua gestão.

“Isso leva tempo em algumas situações, de seis meses a um ano, para poder se restabelecer, eventualmente um pouco mais do que isso, dependendo da complexidade da obra”, estimou o tucano.

O jornal cita que, para essa reconstrução, o trabalho tem sido feito com o auxílio de drones, que mapeiam as cidades e identificam o novo patamar de cheia dos rios. Esses dados são então cruzados com os do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do CadÚnico para se chegar ao número correto de casas e estabelecimentos (escolas, creches e empresas, por exemplo) atingidos. Só depois é feita a seleção dos novos espaços e dado início ao processo de reconstrução.

Ao todo, cita o canal, já foram mapeados 224 municípios dos 469 atingidos pelas enchentes. A cheia atingiu, nas cidades mapeadas, 267 mil residências e 109 mil empresas.

Parte do processo de reconstrução, cita a emissora, será também custeado pelo governo federal. Segundo o ministro extraordinário da reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo Pimenta, o governo Lula (PT) iniciará, em breve, a reconstrução de casas para as famílias com renda até 4,4 mil reais.

“As prefeituras fazem um cadastro, as prefeituras destinam o terreno e o governo federal consegue o valor para compra do imóvel usado. Nós também requisitamos todos os imóveis que estavam para leilão na Caixa Federal e no Banco do Brasil, para fazerem parte desse programa. E vamos também adquirir os imóveis que a iniciativa privada está construindo que se enquadram nessa faixa de valor”, detalhou Pimenta ao Jornal Nacional.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo