Prefeito decreta jejum e oração para combater o coronavírus em Mato Grosso do Sul

Para acompanhar a medida, o político utiliza suas redes sociais para ler a bíblia

Prefeito de Ladário, Iranil de Lima Soares. Foto: Reprodução.

Prefeito de Ladário, Iranil de Lima Soares. Foto: Reprodução.

Política

No último dia 15, a prefeitura de Ladário, no Pantanal de Mato Grosso do Sul, divulgou um decreto que pede 21 dias de oração e um de jejum para combater a pandemia do novo coronavírus. O documento, assinado pelo prefeito e pastor Iranil de Lima Soares (PSDB), também pede que os cidadãos evitem aglomerações.

A medida vem sendo acompanhada pelo político. Todos os dias o prefeito realiza uma live em seu Facebook lendo a bíblia, fazendo orações e proferindo palavras de conforto baseado na bíblia. Ladário até o momento possui 5 casos da infecção causada pelo novo coronavírus.

Posted by Iranil Soares on Tuesday, 19 May 2020

 

Já no estado. 4.954 casos notificados de covid-19, 4.294 descartados, 69 suspeitos e 570 confirmados. Deste número, 217 estão recuperados e 15 faleceram.

Em entrevista ao portal G1,  Iranil diz que a medida foi feita para que as pessoas tenham mais fé. “Nós resolvemos estimular a fé das pessoas, para que elas possam ter esperança, para que o momento de pânico não invada o coração, a mente delas. Para que elas possam se voltar um pouco para Deus e assim trazer essa esperança que esse momento irá passar e que logo tudo estará restabelecido”, disse.

De acordo com o prefeito, a oração não é obrigatória. “Nenhuma pessoa, nenhum ladarense é obrigado a fazer a oração ou o jejum. Aqueles que sentirem o desejo, a vontade, deve ser voluntariamente, de suas casas. Não devem sair de suas casas. Não deve ter aglomeração”.

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem