Política

Preciso aprovar o que interessa, diz Bolsonaro sobre proximidade com Centrão

Presidente também defendeu o pragmatismo para escolher representantes nas eleições municipais deste ano

'Para aprovar uma emenda à Constituição tem que ter 308 votos na Câmara. Me aponte os 308 que eu tenho que conversar com eles'. Foto: EVARISTO SA / AFP

 'Para aprovar uma emenda à Constituição tem que ter 308 votos na Câmara. Me aponte os 308 que eu tenho que conversar com eles'. Foto: EVARISTO SA / AFP
'Para aprovar uma emenda à Constituição tem que ter 308 votos na Câmara. Me aponte os 308 que eu tenho que conversar com eles'. Foto: EVARISTO SA / AFP 'Para aprovar uma emenda à Constituição tem que ter 308 votos na Câmara. Me aponte os 308 que eu tenho que conversar com eles'. Foto: EVARISTO SA / AFP

O presidente Jair Bolsonaro afirmou a apoiadores que tem recebido críticas por se aproximar de “certos partidos” mas defendeu a necessidade de diálogo para conseguir aprovação das matérias que interessam ao governo.

“Para aprovar uma emenda à Constituição tem que ter 308 votos na Câmara. Me aponte os 308 que eu tenho que conversar com eles. Aí criticam: ‘ah, se aproximou de tal partido porque tem tal pessoa que não presta’. Mas eu preciso desses votos para aprovar as coisas que interessam pra gente”, disse Bolsonaro na noite desta quarta-feira 28.

Bolsonaro também defendeu o pragmatismo para escolher representantes nas eleições municipais deste ano. Segundo o presidente, “às vezes tem que escolher o menos ruim”. “A pior coisa que tem é não votar ou chegar lá e anular o voto”, afirmou Bolsonaro.

Sem citar o Partido dos Trabalhadores, Bolsonaro disse que “aquele pessoal de bandeira vermelha” vota todo “direitinho”. “Daí chega aqui no Congresso, tem oposição enorme desses caras, querem que eu faça milagre”, completou.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!