Política

Polícia cumpre mandado de busca e apreensão contra Jair Renan Bolsonaro

Operação investiga esquema de lavagem de dinheiro e cumpre mandados em endereços de Balneário Camboriú e Brasília

Jair Renan, o filho '04' de Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagrou uma operação de busca e apreensão que tem como alvo Jair Renan Bolsonaro, filho mais novo do ex-presidente. A suspeita é de que ele tenha envolvimento em um grupo criminoso que cometeu estelionato, falsificação de documentos, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro.

Ao todo, nesta quinta-feira 24, são cumpridos dois mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao filho de Jair Bolsonaro em Brasília e em Balneário Camboriú, em Santa Catarina. Na operação, há cinco mandados de prisão em execução na capital federal.

Segundo a TV Globo e o site G1, que acompanham o início da operação, o principal alvo é Maciel Carvalho, instrutor de tiros de Jair Renan, que já foi preso em janeiro deste ano. Ele é apontado como mentor do esquema criminoso investigado pela Polícia Civil do DF. Ele já foi alvo de outras duas operações, a Succedere e a Falso Coach.

A identidade dos outros alvos ainda não foi confirmada. A defesa de Jair Renan ainda não comentou a operação.

O grupo agia por meio de empresas fantasmas, segundo as investigações. Um dos métodos envolveu a criação da identidade falsa de Antônio Amâncio Alves Mandarri. A prática teria como objetivo abrir contas em bancos e tornar a inexistente figura de Antônio Amâncio uma espécie de proprietário das empresas usadas como ‘laranja’.

Em nota, a PCDF informou que descobriu “que os investigados forjam relações de faturamento e outros documentos das empresas investigadas, usando dados de contadores sem o consentimento destes, inserindo declarações falsas com o fim de alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante, além de manter movimentações financeiras suspeitas entre si, inclusive com o possível envio de valores para o exterior”.

A operação contra o ’04’ ocorre em um contexto em que o ex-presidente Jair Bolsonaro se vê cercado por investigações. Nesta semana a Polícia Federal deu andamento em ao menos dois casos contra ele e o intimou a prestar depoimentos.

O primeiro deles apura o esquema criminoso de venda de joias luxuosas recebidas durante seu mandato. Neste caso, além do ex-capitão, Michelle também alvo. O segundo inquérito apura o disparo em massa de fake news orquestrado por empresários, supostamente, com ordens diretas de Bolsonaro. As mensagens disparadas podem ligar o ex-capitão ao 8 de Janeiro.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo