Política

Paulo Guedes alega celular hackeado após entrar no Telegram: ‘Bandidos’

Ministro é o segundo, depois de Moro, a apontar ação de hackers no celular

O ministro da Economia, Paulo Guedes, alegou na noite da segunda-feira 22 que teve o celular pessoal invadido por ‘bandidos’, conforme informou ao jornalista Lauro Jardim. “Fui hackeado. Não entrei em Telegram. Bandidos”, alegou o ministro. O aplicativo Telegram indicou que o ministro teria feito uma nova conta por volta das 22h30 da segunda.

A ação dos hackers foi confirmada pela assessoria de Guedes, que também afirmou que ‘medidas cabíveis’ serão tomadas nesta terça-feira 23. A nota diz ainda que mensagens provenientes do celular do ministro devem ser desconsideradas.

Guedes se torna o segundo ministro do governo a ser alvo de hackers. Antes dele, Sérgio Moro, ministro da Justiça, também relatara ataque virtual ilegal – justificativa que utiliza, no entanto, para apontar irregularidades nas mensagens vazadas do Telegram obtidas pelo site The Intercept Brasil. 

Outro caso recente de invasão de celulares aconteceu com a líder do governo na Câmara e deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), que relatou a ação no domingo 21. “Em meu nome bandidos mandaram mensagens pra jornalistas […] Tbm recebi ligações do meu próprio número EXATAMENTE como aconteceu com @SF_Moro [Sergio Moro]. A polícia já foi acionada”.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!