Justiça

‘Paridade de armas’: o novo pedido de Bolsonaro a Moraes antes de depoimento à PF

A oitiva sobre a trama golpista de 2022 ocorrerá nesta quinta-feira

Jair Bolsonaro e Alexandre de Moraes. Foto: Antonio Augusto/TSE
Apoie Siga-nos no

A defesa de Jair Bolsonaro (PL) apresentou mais um pedido ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, para obter acesso a provas da investigação sobre a trama golpista de 2022, antes de o ex-presidente prestar depoimento à Polícia Federal. A oitiva está agendada para esta quinta-feira 22.

O argumento dos advogados é que seria necessário “garantir a paridade de armas no procedimento investigativo”. Moraes já autorizou acesso aos autos, mas não ao conteúdo da delação premiada do tenente-coronel Mauro Cid, devido ao fato de a colaboração estar em andamento.

Agora, a defesa sustenta que “somente através da análise completa dos elementos probatórios é possível verificar a consistência e a coerência de eventuais imputações e acusações, bem como apontar possíveis falhas ou equívocos nas investigações realizadas, inclusive a bem da própria apuração da verdade real.”

Na terça 20, Moraes rejeitou mais um pedido de Bolsonaro para ser dispensado de comparecer à PF. Segundo o ministro, a defesa “insiste nos mesmos argumentos já rejeitados em decisão anterior, onde ficou absolutamente claro que o investigado teve acesso integral a todas as diligências efetivadas e provas juntadas aos autos”.

A defesa afirmou que o ex-capitão ficará em silêncio na PF. Em 8 de fevereiro, Bolsonaro foi um dos alvos da Operação Tempus Veritatis, deflagrada a fim de apurar uma articulação para impedir a posse de Lula (PT).

Os fatos analisados pela corporação configuram, em tese, os crimes de organização criminosa, abolição violenta do Estado Democrático de Direito e golpe de Estado.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo