Para Witzel, segurança do Rio está no patamar de Nova York e Paris

Segundo dados do Fogo Cruzado, já aconteceram mais de 6500 tiroteios na cidade apenas este ano

Para Witzel, segurança do Rio está no patamar de Nova York e Paris

Política

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), declarou em um encontro nesta quinta-feira 14 que a violência no estado vem diminuindo ao passo de ser comparável às cidades de Nova York, Paris e Madri. “Nós somos a segunda capital mais segura do Brasil”, declarou o governador, complementando a afirmação anterior.

A fala vem depois de dois dias de violência seguida no estado, com a morte de mais uma criança na manhã da quarta-feira 13 e um gari, que foi atingido por uma bala perdida nesta quinta.

 

Mesmo assim, o governador vem promovendo ações para incentivar o turismo no Rio de Janeiro e chegou a afirmar que “tiroteios não são realidade” no Estado. “Não é a realidade do Rio de janeiro, só é realidade infelizmente em algumas comunidades, mas isso não afeta a vinda do turista pra cá”, reiterou.

De acordo com o portal Fogo Cruzado, que contabiliza o número de tiroteios no Rio, somente em 2019 já aconteceram cerca de 6538 ocorrências do tipo na cidade. Há também a diferenciação de região predominante – que é a zona norte – e de quantas pessoas foram mortas em decorrência da violência.

Witzel está à frente de um crescimento expressivo no número de mortes violentas cometidas pelos agentes de segurança no Rio de Janeiro. Apenas entre janeiro e maio de 2019, foram 731 mortes causadas pela polícia, segundo estudo do Instituto de Segurança Pública do RJ.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem