Política

Pacheco: respeito críticas de Bolsonaro ao arquivamento de impeachment de Moraes

‘Não farei disso um cavalo de batalha’, garantiu o presidente do Senado

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse nesta quinta-feira respeitar as críticas do presidente Jair Bolsonaro à sua decisão de arquivar o processo de impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviado à Casa pelo chefe do Executivo.

“Não farei disso um cavalo de batalha”, garantiu Pacheco, durante evento da XP Investimentos. Ele ainda voltou a defender sua decisão pelo arquivamento, anunciada na quarta-feira. “Fiz com a consciência jurídica e política. O fato narrado na denúncia não tinha adequação legal”, reforçou.

Mais cedo, Bolsonaro criticou Pacheco por sua decisão em entrevista à rádio Jornal Pernambuco. “Tenho absoluta convicção de que não é nada pessoal de Bolsonaro em relação a mim”, afirmou o presidente do Senado sobre o episódio, A relação entre os dois está estremecida desde a instalação da CPI da Covid no Senado, feita sob determinação do STF.

A necessidade de diálogo entre os entes da federação foi outro tema abordado por Pacheco durante o evento. “O papel da política nesse momento deve se ater a um debate de ideias”, declarou, pedindo que não haja “confronto de homens”. “Tenho tranquilidade de manter a boa convivência com as instituições, inclusive com Bolsonaro”, declarou.

Visto como um conciliador, Pacheco tem buscado remarcar a reunião entre os três poderes e já conversou sobre isso com o presidente do Supremo, Luiz Fux. Foi o magistrado quem desmarcou o encontro por julgar que o presidente Bolsonaro não estava disposto ao diálogo, diante de sua ofensiva contra ministros da Corte.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!