Política

Os novos elogios de Alckmin a Lula, às vésperas da formalização da aliança

O PSB deve oficializar na próxima sexta-feira 8 a indicação do ex-tucano para vice do petista

O ex-governador Geraldo Alckmin (sem partido) e o ex-presidente Lula (PT). Foto: Ricardo Stuckert
Apoie Siga-nos no

O ex-tucano Geraldo Alckmin, recém-filiado ao PSB, fez novos elogios ao ex-presidente Lula nesta terça-feira 5, durante uma conversa em São Paulo com o superintendente do Sebrae no Distrito Federal, Valdir Oliveira.

CartaCapital, Oliveira relatou os principais temas do diálogo. Alckmin, que deve ser o candidato a vice-presidente na chapa de Lula, analisou os cenários eleitorais, pregou o “desapego” e disse que o pleito presidencial deste ano representa “uma luta a favor da democracia”. Para vencê-la, acrescentou o ex-governador de São Paulo, “temos todos de nos unir”.

“Ele disse que sente o Lula como um bom articulador, preparado para este momento. Acredita que o Lula está preparado para fazer essa liderança. O movimento eleitoral que ele vê dá oportunidade ao Lula para exercer isso, e ele acha que esse é o caminho”, disse Oliveira.

Alckmin, que está “muito seguro do que vem construindo”, ainda elogiou Lula pela condução do processo pré-eleitoral e pela capacidade de interlocução, segundo Valdir Oliveira.

“Ele acha que o Lula está preparado e que, pelo cenário, é o melhor nome para liderar esse processo. Ele confia que vai dar certo”, acrescentou. “Acha que será uma eleição muito difícil, mas vê perspectiva de vitória da democracia.”

Na manhã desta terça, Lula disse em entrevista à Rádio T, do Paraná, que o PSB formalizará na próxima sexta 8 a indicação de Alckmin como vice em sua chapa. Os socialistas confirmam a realização do evento, em São Paulo.

“Vou ter uma reunião na sexta-feira em que o PSB vai propor ele, o Alckmin, de vice, e isso nós vamos levar para discutir no PT”, afirmou Lula. “Vamos reconstruir o Brasil porque somos dois democratas, gostamos da democracia e temos como prova o exercício dos nossos mandatos.”

“Eu mudei, o Alckmin mudou e o Brasil mudou. Eu fui adversário do Alckmin, não inimigo. Feliz era o Brasil que tinha disputa entre dois partidos democráticos, porque existia debate civilizado, sobre programa de governo.”

ImagemGeraldo Alckmin e Valdir Oliveira, em São Paulo, nesta terça-feira 5. Foto: Reprodução

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo