Olavo de Carvalho diz que irá se afastar do debate político

Guru bolsonarista afirma que foi silenciado e nega influência dentro do governo

O escritor Olavo de Carvalho. Foto: Reprodução

O escritor Olavo de Carvalho. Foto: Reprodução

Política

Em uma entrevista concedida ao site Crítica Nacional, entre fumaças de charuto e bajulações do entrevistador admirador, Olavo de Carvalho declarou que irá se afastar temporariamente do debate da política nacional. “Se tornou absolutamente insustentável. Tamparam minha voz. Eu não tenho um canal de mídia pelo qual responder”, diz o guru bolsonarista.

O autodenominado filósofo foi convidado para “apresentar seu diagnóstico” sobre o governo Bolsonaro, mas procurou se abster logo no início de sua fala. “Quem sou eu nessa história toda? Esse grupo olavista jamais existiu”, comentou.

Os apoiadores do escritor e a ala militar do governo protagonizaram mais um capítulo dos debates ideológicos do governo. O alvo da vez foi o ministro da Secretaria de Governo, general Santos Cruz, mas acabou atingindo também o general Villas Boas, ex-capitão do Exército.

Uma sequência de tweets, declarações e ofensas entraram no debate público, mas Olavo de Carvalho agora nega que exista um grupo que atue sob sua influência. “Esses generais loucos, esses jornalistas loucos inventaram o grupo olavista”, diz.

Apesar de estar silencioso no Twitter, principal rede social utilizada por ele e por sua rede de influência – ele não tuíta desde o dia 13 -, Olavo de Carvalho postou no Facebook um ‘conselho’ para os alunos de dentro do governo:

 

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

É repórter do site de CartaCapital.

Compartilhar postagem