Novos vazamentos citam jantar de ministro do STF com Moro e Dallagnol

Magistrado de terceira instância realizou jantar privado de 'máxima discrição' com julgador e acusador de processos da Lava Jato

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Política

O jornalista Reinaldo Azevedo divulgou, nesta terça-feira 16, em seu programa na rádio BandNews, novos diálogos entre o ex-juiz Sergio Moro e o procurador Deltan Dallagnol. Segundo o conteúdo veiculado, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, teria convidado Moro e Dallagnol a um jantar privado, que seria realizado em 9 de agosto de 2016.

A reportagem de Azevedo, em parceria com o site The Intercept Brasil, mostra um texto, escrito por Barroso, e repassado por Dallagnol a Moro. No convite, o ministro do STF pede “máxima discrição” sobre o evento e escreve: “Na medida do possível, desejamos manter como um evento reservado e privado”.

O encontro se daria para celebrar a participação de Barroso, Moro e Dallagnol no evento “Democracia, Corrupção e Justiça: Diálogos para um País Melhor”, ocorrido no Centro Universitário de Brasília (UniCEUB) e transmitido na internet. Segundo a reportagem, o ministro do Supremo, integrante de uma instância onde tramita parte dos processos da Lava Jato, teria consciência de que não cairia bem em público um jantar privado com acusador e julgador.

Os diálogos vazados também confirmam fatos públicos, o que serviria para atribuir veracidade ao conteúdo obtido pelo Intercept. Além de tratar sobre um evento que realmente ocorreu em Brasília, o material noticiado também contém troca de mensagens sobre a entrevista de Dallagnol ao programa Jô Soares, da TV Globo. Para alguém que já planejava lucrar fazendo palestras, o esforço em ser bem visto parecia ter sido bem sucedido.

O diálogo entre os dois mostra ainda que as conversas iam além de temas profissionais. Em um dos trechos, por exemplo, o então juiz mostrava interesse no desempenho do procurador na televisão. “Como foi no Jô?”, perguntou. Dallagnol respondeu: “Nessa vez, tentei mesclar conteúdo com entretenimento e acho que o resultado foi bacana”.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem