Na ONU, Xi Jinping diz que ajudará países na transição para economia de baixo carbono

'Temos de revitalizar a economia e criar desenvolvimento mais sustentável', afirmou o presidente chinês na Assembleia-Geral

Xi Jinping em discurso na ONU. Foto: Reprodução

Xi Jinping em discurso na ONU. Foto: Reprodução

Mundo,Política

O presidente da China, Xi Jinping, afirmou na Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas que seu país irá ajudar outras nações em desenvolvimento a buscar a transição para a economia de baixo carbono, destacando o objetivo chinês de zerar as emissões até 2060. Entre as contribuições, Xi citou a suspensão de dívidas de países em desenvolvimento.

 

 

“Temos de revitalizar a economia e criar desenvolvimento mais sustentável”, afirmou o presidente chinês, indicando a necessidade de um sistema “mais balanceado” e destacando como meta a intenção do país de não construir mais usinas de carvão no exterior. Segundo Xi, o país fará “de tudo” para alcançar suas metas climáticas.

Mas, “antes, precisamos vencer a Covid-19, o que será fundamental para humanidade”, afirmou o líder, reforçando a necessidade da cooperação internacional na resposta à pandemia. Segundo Xi, é preciso seguir a ciência e o acesso equitativo às vacinas. Neste cenário, o chinês destacou a entrega de 2 bilhões de doses de vacinas contra a Covid-19 pela China em 2021 e mencionou a doação de 100 milhões de doses a países com menos renda ao longo deste ano.

Sem citar nomes, Xi fez uma série de considerações sobre a ordem internacional. Segundo o chinês, a “intervenção militar de países estrangeiros mostrou recentemente seus problemas” e as “diferenças entre nações devem ser resolvidas por meio do diálogo”. O líder defendeu ainda um “novo sistema internacional baseado no respeito mútuo” e a cooperação com a ONU foi descrita algumas vezes como uma possibilidade de tal desenvolvimento.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Post Tags
Compartilhar postagem