Política

MPF não vê crime em fala de Felipe Neto contra Lira e pede arquivamento do processo

‘Não havendo o real desejo de injuriar ou lesividade suficiente’, diz o documento

Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

O Ministério Público Federal pediu o arquivamento do processo movido pelo presidente da Câmara dos Deputados Arthur Lira (PP-AL) contra o influenciador Felipe Neto. Em parecer na última sexta-feira 16, o MPF entendeu que não foi cometido o crime de injúria.

O parlamentar entrou na Justiça após Felipe Neto se referir a Lira como “excrementíssimo” durante uma audiência na Câmara. Na ocasião, o youtuber criticou o engavetamento do Projeto de Lei 2630/2020, conhecido como PL das Fake News.

“As palavras duras dirigidas ao Deputado, conquanto configurem conduta moralmente reprovável, amoldam-se a ato de mero impulso, um desabafo do investigado, não havendo o real desejo de injuriar ou lesividade suficiente“, diz o documento.

Nas redes sociais, o influenciador comemorou a recomendação do MPF. “Enfrentaremos toda tentativa de silenciamento”, disse.

Em nota, Lira afirmou que irá recorrer do parecer. O recurso será enviado para a Câmara de Coordenação e Revisão do MPF.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo