Política

Moraes manda PF fazer laudo sobre vídeo em que Roberto Jefferson recebe visitas e orienta partido

Ministro do STF também determinou que a defesa do ex-deputado e pré-candidato à presidência, que cumpre prisão domiciliar, se manifeste sobre eventual descumprimento de ordem judicial

Imagem: Arquivo STF
Imagem: Arquivo STF
Apoie Siga-nos no

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu cinco dias para que a Polícia Federal examine um vídeo em que o ex-deputado Roberto Jefferson afirma estar recebendo visitas e passa orientações a dirigentes do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), contrariando a proibição imposta pela Corte para que ele receba visitas, se comunique com o mundo exterior e dirija seu partido.

O GLOBO revelou nesta quinta-feira que Jefferson, hoje pré-candidato à presidência da República pelo PTB, mesmo cumprindo prisão domiciliar, enviou áudios a aliados em que passa orientações ao diretório estadual do Rio Grande do Sul e diz ter recebido correligionários em sua casa.

“(…) Diante das notícias veiculadas na imprensa no sentido de que ROBERTO JEFFERSON MONTEIRO FRANCISCO está recebendo visitas e passando orientações a dirigentes do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), em descumprimento das medidas cautelares impostas judicialmente, INTIME-SE a Defesa do denunciado, para manifestação, no prazo de 24 (vinte e quatro) horas”, diz o despacho de Moraes desta sexta-feira.

Em 2021, Moraes impôs a Jefferson a “proibição de qualquer comunicação exterior, uma vez que permanece na condição de preso, inclusive sendo vedada a participação em redes sociais de sua titularidade, de interpostas pessoas ou partidos políticos”, e “proibição de receber visitas sem prévia autorização judicial, salvo de seus familiares”.

Quando sua prisão foi convertida em domiciliar com tornozeleira eletrônica, em janeiro deste ano, o ministro do STF condicionou a mudança à manutenção das condições de não se comunicar com o exterior e não recebesse visitas sem autorização judicial.

Nos áudios enviados a dirigentes do partido e obtido pelo GLOBO, Jefferson lamenta a morte do presidente do diretório gaúcho, Edir de Oliveira, na manhã desta quinta-feira. Em seguida, ele pede a Elizandro Sabino, atual vice-presidente, que fique à frente do partido no estado.

“Eu peço ao Sabino que assuma a rédea do partido, por favor, lá no Rio Grande do Sul. O Sabino é um cristão, um homem heroico, um amigo com ‘A’ maiúsculo, também, corajoso”.

Em outro momento do áudio, ele diz ter recebido uma visita no Rio de Janeiro de Oliveira, Sabino e da vereadora Tanise Sabino “anteontem”, ou seja, na última terça-feira.

Na convenção do PTB na última segunda-feira, Jefferson foi aprovado como pré-candidato à Presidência, mesmo havendo uma condenação contra ele pelo mensalão, em 2012, que o torna inelegível.

Agência O Globo

Agência O Globo
Agência de notícias e de fotojornalismo do Grupo Globo.

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.