Política

Michelle recua após defender fim de cotas para mulheres na política

Ex-primeira-dama fez uma retificação em sua declaração feita durante evento do PL Mulher em São Paulo

Foto: Isac Nóbrega/PR
Apoie Siga-nos no

A ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro defendeu, durante um evento do PL Mulher neste sábado 6, o fim da cota de 30% para mulheres em cargos no Legislativo.

Ainda não cumpridas em sua totalidade, as cotas para mulheres foram instituídas na tentativa de equilibrar a participação política feminina.

“Queremos erradicar a cota dos 30%, queremos a mulher na política pelo seu potencial”, disse Michelle. Após a fala, ela foi ovacionada pelos presentes na Assembleia Legislativa de São Paulo.

Após a repercussão, horas depois, ela voltou em sua declaração e publicou um vídeo em que retifica seu posicionamento, agora se mostrando a favor das cotas.

“Retificando, eu sou a favor da cota, sim. Nós teremos mulheres na política pelo seu potencial, pelo seu protagonismo”, disse na gravação.

“Nós não queremos apenas cumprir uma cota de 30%. Nós acreditamos no potencial de cada mulher que entra na política brasileira”, completou.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo