Mundo

Maduro garante a Lula que Venezuela vai realizar eleições

Encontro das lideranças ocorreu à margem da 8ª Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e o presidente Lula durante bilateral em São Vicente e Granadina. Foto: Ricardo Stuckert/PR
Apoie Siga-nos no

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, garantiu ao presidente Lula (PT) que o país vizinho vai realizar eleições presidenciais no segundo semestre.

O líder venezuelano disse nesta sexta-feira 1º ter articulado um amplo acordo com partidos de oposição na Assembleia Nacional de seu país. Maduro ainda reforçou que haverá observadores internacionais e auditoria para garantir a lisura do pleito.

O encontro ocorreu à margem da 8ª Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), em Kingstown, capital de São Vicente e Granadinas.

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, também participou.

A realização das eleições livres na Venezuela tem sido motivo de preocupação após adversários políticos serem presos ou impedidos de disputar por decisões judiciais.

Em janeiro, os Estados Unidos retomaram as sanções ao setor de petróleo e gás da Venezuela após a deputada da oposição María Corina Machado ser inabilitada politicamente.

Cooperação

Na saída do evento, em rápida conversa com jornalistas, Nicolás Maduro definiu a conversa com o presidente brasileiro como “muito boa”.

Segundo ele, o diálogo serviu para “fortalecer a cooperação” entre as duas nações. Em 2023, o presidente Lula recebeu Maduro no Palácio do Planalto em visita oficial.

Mais cedo, em seu discurso na abertura da cúpula, o presidente Lula defendeu a integração entre os países latino-americanos e caribenhos para atingir objetivos em comum e dialogar com outras regiões do mundo.

“Se falamos como região, temos mais chances de influenciar os grandes debates da atualidade. Se atuamos juntos, criamos sinergias que fortalecem nossos projetos individuais de desenvolvimento”, resumiu Lula.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo