Lula descarta candidatura em 2022: “Quero ajudar a eleger alguém”

Ex-presidente afirmou que quer ser 'cabo eleitoral' e que espera que PT tenha candidato

O ex-presidente Lula (PT) em homenagem que recebeu em Paris, na França. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

O ex-presidente Lula (PT) em homenagem que recebeu em Paris, na França. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Política

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) descartou a possibilidade de se candidatar a presidente da República nas eleições de 2022. Em entrevista ao colunista Leonardo Sakamoto, do portal UOL, o petista afirmou que tem a intenção de ser somente um “cabo eleitoral”.

“Fico olhando minha vida, já fui longe demais. Acho que quando chegar 2022, o PT tenha candidato. Eu, sinceramente, vou estar com 77 anos quando chegar outubro de 2022. Se eu tiver juízo, tenho que ajudar com que o PT tenha outro candidato e que eu seja um bom cabo eleitoral. Quero ajudar a eleger alguém que tenha compromisso com o povo trabalhando”, afirmou.

 

Lula tentou se candidatar a presidente em 2018, mas estava preso e acabou sendo barrado por decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em novembro de 2019, foi solto após votação no Supremo Tribunal Federal (STF) e fez um discurso em oposição ao presidente Jair Bolsonaro, o que sugeriu a especialistas que o ex-chefe do Palácio do Planalto poderia pleitear o cargo novamente.

No entanto, ao UOL, Lula declarou que não tem tanta disposição como antes e espera que seu partido conte com outro quadro.

“Para que eu fosse candidato em 2022, teria que estar com 100% de saúde, com a disposição que eu tenho agora, porque não posso ser candidato e ficar um velhinho arrastando o pé dentro do Palácio, isso não é bom. Já prestei serviço para o país. Espero que o Brasil e o PT não precisem de mim”, disse.

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem