CartaExpressa

Justiça eleitoral condena Boulos a multa de R$ 53 mil por post de pesquisa no Instagram

A ação foi movida pelo MDB, do prefeito Ricardo Nunes, e pelo PSB, da pré-candidata Tabata Amaral

Comissão Mista da Medida Provisória (CMMPV) n° 1162, de 2023, que relança o programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, do governo federal, realiza audiência pública interativa para debater o tema: Financiamento e Desafios do Programa - Retorno das operações financiadas e avanços das operações subsidiadas. Mesa: vice-presidente da CMMPV 1.162/2023, deputado Guilherme Boulos (PSOL-SP). Convidados: diretor-executivo de Habitação da Caixa Econômica Federal, Rodrigo Souza Wermelinger; vice-presidente da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Habitacional e Companhias Hipotecárias (Abech), Roberto Abdalla; presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins; diretor do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), Abelardo Campoy Diaz. Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Apoie Siga-nos no

A Justiça Eleitoral de São Paulo condenou o deputado federal e pré-candidato à prefeitura da capital paulista, Guilherme Boulos (Psol), ao pagamento de 53 mil reais em multa pela divulgação de cenários eleitorais a partir dos resultados de um levantamento do instituto Real Time BigData.

A ação contra Boulos foi movida pelo MDB, do prefeito Ricardo Nunes, e pelo PSB, da pré-candidata Tabata Amaral, que também é deputada federal.

O juiz Antonio Patiño Zorz, da 1ª Zona Eleitoral, acolheu os argumentos dos partidos políticos e ainda mandou apagar as publicações nas quais Boulos mistura dos dados da pesquisa.

Nas postagens, o parlamentar expõe que tem 34% de intenção de voto contra pré-candidatos ligados ao bolsonarismo: Nunes, o deputado Ricardo Salles (PL) e o senador Marcos Pontes (PL).

Para o magistrado, o pré-candidato misturou cenários de pesquisas estimuladas para fabricar um outro que não havia sido questionado às pessoas que participaram do levantamento.

Há, segundo ele, “divulgação irregular de dados com indução do eleitor a erro” tanto por causa da mistura de cenários, pela inclusão no mesmo ranking de Salles e Pontes (que não poderiam concorrer ao mesmo tempo por serem do mesmo partido) e por omitir os demais candidatos.

No início de março, a Justiça mandou remover a publicação na qual Boulos destaca os números da pesquisa Real Time BigData.

Procurada pela reportagem, a defesa de Boulos disse que irá recorrer.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo