Política

Jefferson cobra reação de Bolsonaro contra Moraes: ‘Tem que mandar seus fuzileiros’

Ex-deputado atacou o ministro do Supremo e disse que o atual presidente perderá a eleição se não impor limites ao magistrado

Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

O ex-deputado Roberto Jefferson (PTB) divulgou um vídeo nesta terça-feira 6 em que ataca o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, e cobra do presidente Jair Bolsonaro (PL) ações contra o magistrado nos atos de 7 de setembro.

Jefferson, que está em prisão domiciliar, afirma ainda que o ex-capitão será derrotado na eleição deste se não dar um basta no ministro que também preside o Tribunal Superior Eleitoral.

“Como o senhor deixa o Xandão, chefe da milícia judicial, colocar sniper nas praças de Brasília para impedir o povo de se manifestar? Embaixo do seu nariz? Que conversa é essa, Bolsonaro?”, questionou o aliado no vídeo. “Você vai perder a eleição se você deixar essa afirmação de poder dele”.

N gravação, publicada nas redes sociais da filha de Jefferson, a ex-ministra Cristiane Brasil, o ex-deputado sugere uma reação enérgica do presidente contra Moraes.

“Se [Moraes] tomar conta das ações do Executivo, acabou, pede o boné e vai embora para casa. Não precisa mais fazer campanha, Bolsonaro. Ele não pode fazer isso”, declarou. “Você tem que mandar seus fuzileiros navais amanhã prender todo sniper que tiver em cima de prédio aí no Eixo Monumental”.

Jefferson ainda comparou os atos de amanhã com as manifestações golpistas do ano passado, quando Bolsonaro chamou Moraes de canalha e disse que não cumpriria decisões do magistrado.

“A rua é do povo. Duzentos anos de independência na dependência do Xandão. É o Xandão que vai estabelecer o que o povo pode fazer no Sete de Setembro?”, acrescentou. “Ano passado foi um fracasso, fez um discursinho meia boca, com medo de que não sei. E agora vai deixar eles mijarem em cima de você? Poste não mija em cachorro, Bolsonaro! Reage, Bolsonaro! Ou acabou. Ou pede o boné e acabou”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo