Isa Penna é assediada pelo deputado Fernando Cury na Alesp. Veja o vídeo

A parlamentar afirmou que vai registrar boletim de ocorrência

Foto: Divulgação/Alesp

Foto: Divulgação/Alesp

Política

Um vídeo gravado por câmera da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), na quarta-feira 16, mostra o deputado Fernando Cury (Cidadania) passando a mão no seio da deputada Isa Penna (PSOL). Os parlamentares estavam reunidos para votar o orçamento do estado.

 

 

Nas imagens é possível ver que Isa Penna está apoiada na mesa diretora da Casa, conversando, quando é surpreendida por trás pelo parlamentar que coloca a mão em seu seio. Ele é repelido pela deputada.

 

 

A parlamentar disse, em nota, que o caso não é isolado e que as deputadas Mônica Seixas e Érika Malunguinho, do mesmo partido, também já foram vítimas de assédio na Alesp.

“A deputada Isa Penna é conhecida por atuar em prol do combate à violência contra as mulheres e afirma que a violência política de gênero que sofreu publicamente na ALESP infelizmente não é um caso excepcional, dado que ela e as deputadas Mônica Seixas e Erica Malunguinho, do mesmo partido, já foram assediadas em ocasiões anteriores”, diz a nota.

Nas redes sociais, Isa Penna afirmou que vai registrar boletim de ocorrência e que vai requerer o compromisso público do governador João Doria de que seja derrubado o veto ao projeto de lei 113/2019, que fora aprovado pela casa, intitulado ‘Dossiê Mulher Paulista’.

 

 

“O ‘Dossiê Mulher Paulista’, proposto por mim durante meu primeiro ano de mandato, consiste na elaboração de estatísticas periódicas sobre mulheres vítimas de violência atendidas pelos equipamentos públicos sob ingerência do Governo do Estado de São Paulo. O projeto é inspirado em proposta similar apresentada pela vereadora Marielle Franco e foi formulado com o objetivo de oferecer um diagnóstico mais preciso da realidade”, acrescentou.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem