CartaExpressa,Política

Irritado, Aziz critica Bolsonaro na CPI: ‘Grande motoqueiro, péssimo presidente’

Irritado, Aziz critica Bolsonaro na CPI: ‘Grande motoqueiro, péssimo presidente’

'É uma pessoa que não tem sensibilidade, agressor de mulheres. Gosta de gritar com as mulheres e adora andar de moto'

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Logo após a diretora da Precisa Medicamentos, Emanuela Medrades, informar os motivos pelos quais permaneceria em silêncio, o presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), fez um discurso acalorado e direcionou duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro e seus apoiadores.

Rebatendo as acusações de abuso de autoridade vindas de senadores governistas desde que decretou a prisão de Roberto Ferreira Dias, ex-diretor do Ministério da Saúde, Aziz destacou:

“Abuso de autoridade são as mortes. É a omissão. É ser complacente com o governo que não tem um milímetro de solidariedade. Um presidente que é incapaz de ser solidário aos brasileiros”, afirmou.

Aziz então completou: “O Brasil tem um presidente motoqueiro que ao invés de ir nos estados e municípios visitar um hospital ou visitar uma família que perdeu um ente querido, vai assacar contra os adversários.”

“É uma pessoa que não tem sensibilidade, agressor de mulheres. Gosta de gritar com as mulheres e adora andar de moto. Grande motoqueiro o Brasil tem. Péssimo presidente o Brasil tem”, finalizou o senador, subindo ainda mais o tom do discurso.

Ao encerrar sua fala, o presidente da comissão passou a palavra ao relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL), que questionou qual era a relação profissional com a Precisa Medicamentos.

A diretora respondeu que permaneceria calada. O depoimento então foi interrompido e o presidente da comissão solicitou fosse encaminhando um embargo de declaração ao ministro do STF Luiz Fux para que explicasse melhor os limites do habeas corpus concedido à depoente.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem