Política

‘Ibama não facilita, nem dificulta’, diz Marina sobre pedido da Petrobras para explorar petróleo no Amazonas

Desde maio, o Instituto e a estatal divergem sobre critérios para a perfuração na Foz do Amazonas

Foto: PR
Apoie Siga-nos no

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, afirmou, neste sábado 5, que o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) avalia “com isenção” os pedidos para licenciamento ambiental.  

A declaração aconteceu durante o evento Diálogos Amazônicos, no Pará, que antecede a Cúpula da Amazônia. Questionada sobre o pedido da Petrobras para a exploração de petróleo na Foz do Amazonas, ela ressaltou que não há impedimento do Ibama. 

“Obviamente, quando você não é negacionista, aquilo que a ciência e a técnica dizem importa na hora de tomar as decisões. O Ibama não dificulta, nem facilita, o Ibama tem um parecer técnico que deve ser observado”, afirmou, durante coletiva de imprensa do evento.

“No processo de licenciamento, o empreendedor tem o direito de reapresentar a proposta. A Petrobras já reapresentou a proposta, e o Ibama, com toda a isenção, vai fazer essa avaliação, porque num governo republicano, os técnicos têm a liberdade de dar o seu parecer, e as autoridades, que devem fazer políticas públicas baseadas em evidências, devem olhar para aquilo que os técnicos estão dizendo”, afirmou.

Ela ressaltou que o Instituto já concedeu mais duas mil licenças à Petrobras, e nenhuma de cunho ideológico, mas sim, técnico. 

No evento, o líder do governo, Randolfe Rodrigues (Sem partido) também comentou o caso e voltou a questionar a decisão. “[Para] conseguirmos debater junto à questão da preservação e das alternativas para dar de comer ao povo, porque não tem devastação ambiental maior do que a produzida pela fome, pelo desemprego, pela miséria”. disse. 

Relembre 

O imbróglio entre Petrobras e Ibama começou em maio, com a negativa do licenciamento para exploração da Foz do Amazonas. O Instituto alegou falta de garantia sobre o impacto da exploração, a estatal recorreu e em seguida, ministros entraram em articulação para conter possíveis embates.

Neste momento, um dos últimos recursos da Petrobras é analisado pelo Ibama. 

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo