Haddad chama Witzel de assassino e pede seu impeachment

Declaração foi feita após a confirmação da morte da garota Ágatha Vitória Sales Félix, de 8 anos, atingida por um tiro de fuzil, no RJ

Foto: Ricardo Stuckert

Foto: Ricardo Stuckert

Política

O professor e ex-candidato à Presidência da República, Fernando Haddad, defende o impeachment do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, após a morte da menina Ágatha Vitória Sales Félix, de 8 anos, que foi baleada por um tiro de fuzil  no Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio.

Em sua rede social, Haddad afirmou que há razões de sobra para o pedido. “Ele é o grande responsável pelas atrocidades que se cometem no Rio de Janeiro. Um assassino!”, escreveu.


A criança estava dentro de uma Kombi que faz transporte de passageiros dentro da comunidade quando foi atingida por um tiro de fuzil nas costas. Moradores e familiares atribuem a morte da criança à polícia. Relatos apontam que PMs atiraram contra uma moto que passava pelo local, e o tiro atingiu a criança.

Outras lideranças também se mostraram críticas à política de enfrentamento contra organizações criminosas empreendida por Witzel desde o início de sua gestão. No Twitter, a hashtag #aculpaedowitzel está entre os assuntos mais comentados no Brasil.

Confira algumas das manifestações em protesto à morte da garota Ágatha nas redes sociais.

1. Ivan Valente, deputado federal

2. Chico Alencar, professor e ex-deputado federal

3. Jandira Feghali, deputada federal

4. Sâmia Bomfim, deputada federal

5. Marcelo Freixo, deputado federal

6. Manuela Davila, vereadora

7. Leandra Leal, atriz

8. Talíria Petrone, professora e ex-vereadora

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem