Política

Grupos convocam atos pró-impeachment de Bolsonaro nas capitais

Movimentos de direita, que apoiaram o presidente na eleição de 2018, defendem o afastamento

Foto: Sergio Lima / AFP

 Foto: Sergio Lima / AFP
Foto: Sergio Lima / AFP Foto: Sergio Lima / AFP

Movimentos de esquerda e de direita e representantes da sociedade civil convocaram para o fim de semana manifestações de defesa do impeachment do presidente Jair Bolsonaro.

Os protestos atos ocorrem em ao menos seis capitais e contam com movimentos como a Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo, que apoiaram a ex-presidente Dilma Rousseff em 2016, e o MBL e o Vem Pra Rua, que defenderam a queda da petista.

 

Os protestos organizados por cada grupo foram marcados para dias separados. O Acredito e os grupos de esquerda organizam os protestos para sábado, dia 23.  Já os movimentos de direita marcaram seus atos para domingo, dia 24.

Na quinta-feira 21, políticos que apoiaram o presidente na eleição de 2018 se manifestaram a favor do afastamento. Pelo Twitter, João Amoedo (Novo) e o deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) pediram o impeachment de Bolsonaro.

No sábado, estão marcadas carreatas em São Paulo (partindo da Assembleia Legislativa, às 14h), no Rio de Janeiro (do Monumento Zumbi dos Palmares, às 10h), em Brasília (da Funarte, às 9h), em Belo Horizonte (saindo do Mineirão, às 16h), em Porto Alegre (do Largo Zumbi, às 16h), em João Pessoa (da Praça da Independência, às 14h), em Rio Branco (partindo da Uninorte às 15h), em Curitiba (da Praça N. Senhora de Salete, às 15h30) e em Fortaleza (do Dragão do Mar, às 15h).

Já o Vem Pra Rua e o MBL marcaram dois protestos: um novo panelaço anti-Bolsonaro na sexta, dia 22, às 20h30 e uma carreata em São Paulo no domingo, saindo às 10h da Praça Charles Miller. Os grupos também articulam atos em outras cidades.

(Com informações do Estadão Conteúdo)

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!