Política

Grupo de 230 investidores divulga manifesto em defesa da Amazônia

Fundos internacionais afirmam que há ‘grande preocupação’ com crise do desmatamento

Operação do Ibama combate focos de incêndio na Amazônia. (Foto: Vinícius Mendonça/Ibama)
Operação do Ibama combate focos de incêndio na Amazônia. (Foto: Vinícius Mendonça/Ibama)

Um grupo de 230 investidores internacionais afirmou que acompanha com “grande preocupação” o que chamou de “crescente crise do desmatamento e dos incêndios florestais no Brasil e na Bolívia”. A declaração está em nota divulgada nesta quarta-feira 18, pela ONG Ceres, sediada nos Estados Unidos, que reúne investidores e ambientalistas pela sustentabilidade.

Os signatários do texto são responsáveis pela gestão de 16,2 trilhões de dólares. Eles pedem que empresas se empenhem para eliminar o desmatamento em suas atividades.

“Considerando os crescentes riscos, nós requisitamos com urgência que as empresas redobrem seus esforços e demonstrem seu compromisso claro de eliminar o desmatamento em suas operações e cadeias de suprimento”, diz.

Eles também escreveram que querem agir pelo interesse de seus beneficiários.

“Como investidores, que têm o dever fiduciário de agir no melhor interesse de longo prazo de nossos beneficiários, reconhecemos o papel crucial que as florestas tropicais têm no combate às mudanças climáticas, na proteção da biodiversidade e na garantia dos serviços dos ecossistemas”, afirma o documento.

O documento traz uma lista de medidas para serem adotadas pelas companhias. As ações são a divulgação e a implementação de uma política de não desmatamento específica de mercadorias; a avaliação de operações e cadeias de suprimentos quanto ao risco de desmatamento; a criação de um sistema de monitoramento e verificação; e a produção de relatórios anuais sobre exposição e manejo de riscos de desmatamento.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!