Governo rebate diretora candidata ao Oscar: “Militante anti-Brasil”

Vídeo da Secom classifica Petra Costa como uma 'militante anti-Brasil' que está 'difamando a imagem do país no exterior'

Cineasta Petra Costa, diretora de Democracia em Vertigem - Foto: Reprodução

Cineasta Petra Costa, diretora de Democracia em Vertigem - Foto: Reprodução

Política

No início da noite desta segunda-feira 3, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) publicou em suas redes sociais um vídeo para rebater informações e dados citados pela cineasta Petra Costa em um programa de entrevistas do canal de televisão americano PBS. O filme de Petra, Democracia em Vertigem, está concorrendo ao Oscar de Melhor Documentário, prêmio que será revelado no próximo domingo 9.

Em pouco mais de 2 minutos e meio, o vídeo da Secom classifica Petra Costa como “militante anti-Brasil”, diz que ela está “difamando a imagem do Brasil no exterior” e destaca uma série de trechos de respostas da cineasta, classificando os dados apresentados por ela como “fake news”. Na legenda do post, o órgão ligado diretamente à Jair Bolsonaro faz um alerta: “Não acredite em ficção, acredite nos fatos.”

Desde a indicação do filme Democracia em Vertigem ao Oscar, Petra Costa e bolsonaristas têm entrado em rota de colisão. Ao ser perguntado por jornalistas o que achava da indicação do documentário brasileiro, o presidente Jair Bolsonaro se limitou a comentar: “Para quem gosta do que urubu come, é um bom filme”. Em resposta, Petra disse que a crítica de Bolsonaro era “como ser nomeada pela segunda vez”.

Recentemente, a diretora publicou um artigo de opinião no jornal americano The New York Times intitulado “A guerra de Bolsonaro contra a verdade”, onde explicita, entre outras coisas, como as notícias falsas impactaram no resultado das eleições 2018. Dias depois, o tema voltou a ser abordado nesta entrevista concedida pela diretora ao late show americano Amanpour & Co., provocando a resposta da Secom em vídeo.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem