Política

Governo Lula dispensa coronel que atuava como diretor da segurança de Bolsonaro no GSI

O militar, responsável pela segurança pessoal do ex-capitão, se tornou conhecido após agredir jornalistas na Bahia

Apoie Siga-nos no

O governo Lula dispensou, nesta quarta-feira 8, o coronel do Exército Gustavo Suarez da Silva, diretor do Departamento de Segurança Presidencial, órgão vinculado ao Gabinete de Segurança Institucional. O desligamento foi publicado no Diário Oficial da União. 

O militar atuava como segurança pessoal do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e se envolveu em uma polêmica ao agredir jornalistas em uma agenda pública em Itamaraju, na Bahia. 

Durante um deslocamento, jornalistas se aproximaram do ex-capitão com microfones. Após um dos equipamentos encostar em Bolsonaro, o coronel reagiu brutalmente dizendo que iria “enfiar a mão na cara” do profissional caso a situação se repetisse. 

A reação desproporcional, fez com que o próprio ex-presidente pedisse calma a seu segurança. No entanto, o discurso de violência contaminou os apoiadores do ex-presidente que agrediram os profissionais que faziam a cobertura da agenda de Bolsonaro. 

Até agora, o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) já exonerou mais de 80 militares em cargos no governo federal nos primeiros 30 dias de mandato. 

A desbolsonarização iniciou-se ainda nos primeiros dias de janeiro e se intensificou após os atos terroristas de 8 de janeiro e da fala pública de Lula apontando a desconfiança nas Forças Armadas e suposta conivência com os golpistas. A previsão é que a limpa no órgão siga até meados de junho.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo