Política

Governo federal aciona MP após polícia reprimir com violência ato de estudantes da USP contra Tarcísio

Pedido ao MP é assinado pelo Ministério dos Direitos Humanos, comandado por Silvio Almeida

Protesto na USP contra o governo Tarcísio. Foto: Instagram/Reprodução
Apoie Siga-nos no

O Ministério dos Direitos Humanos pediu, ao Ministério Público de São Paulo, a abertura de um inquérito para investigar a ação truculenta da Polícia Militar estadual contra estudantes nas instalações da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP). O episódio ocorreu na última sexta-feira 24.

A pasta, comandada por Silvio Almeida, quer que o MP apure a conduta dos agentes, que teriam agredido os estudantes que protestavam contra o governo do Estado, gerido pelo bolsonarista Tarcísio de Freitas (Republicanos).

“De acordo com denúncias recebidas pelo Ministério, na última sexta-feira, as forças de segurança invadiram a USP e praticaram agressões contra estudantes, durante cerimônia de posse do Procurador-Geral de Justiça, Paulo Sérgio de Oliveira Costa. Na ocasião, os alunos protestavam contra a presença do Governador Tarcísio de Freitas no evento”, diz o texto divulgado pela pasta comandada por Silvio Almeida.

A representação foi feita por meio da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos.

No ofício, enviado no sábado 25, o órgão do governo federal solicita que medidas cabíveis sejam tomadas para esclarecer os eventos que resultaram na ação truculenta da PM de SP.

“As universidades são locais de debate e de livre manifestação de ideias, e não servem de palco para tais ações arbitrárias”, diz o texto.

Entenda o caso

Estudantes faziam um ato de protesto pacífico contra o governador do estado, Tarcísio de Freitas (Republicanos), que acompanhava um evento solene realizado na Universidade.

A pauta principal dos manifestantes era a criação das escolas cívico-militares, aprovada na Assembleia Legislativa de São Paulo. Durante a sessão da casa legislativa, a Polícia Militar também usou da violência par retirar manifestantes contrários ao projeto na Alesp.

Sob os gritos de “Fora, Tarcísio”, os estudantes foram barbaramente agredidos pela Polícia Militar dentro do campus da USP. Vídeos que circulam pelas redes mostram o momento em que policiais partem pra cima dos alunos. Professores evitam o agravamento da agressão.

O governador Tarcísio de Freitas saiu do evento por outra porta e não teve contato com os estudantes.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo