Governo anuncia bloqueio de 1,4 bilhão de reais no orçamento de 2019

Ainda não se tem informação sobre qual ministério será afetado; presidente Jair Bolsonaro (PSL) havia falado em congelar 2,5 bilhões

Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

Economia,Política

O Ministério da Economia anunciou o bloqueio de 1,443 bilhão de reais no orçamento de 2019. Ainda não se sabe quais pastas serão afetadas. O contingenciamento foi noticiado no Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas do 3º Bimestre deste ano.

O objetivo com a contenção de despesas, segundo a área econômica, é atingir a meta de um déficit primário de até 139 bilhões, fixada para este ano. De acordo com o documento, a necessidade de contingenciamento era de 2,251 bilhões – o presidente Jair Bolsonaro (PSL) havia falado em 2,5 bilhões e chamou o corte de “merreca”.

“Queremos evitar que o governo pare, dado que o nosso Orçamento é completamente comprometido. Deve ter um novo corte agora. O que deve acontecer é um novo corte de 2,5 bilhões. Uma merreca. Concorda que é uma merreca perto de um orçamento trilionário nosso? É pouca coisa”, afirmou à imprensa.

O contingenciamento foi menor porque o governo decidiu usar uma parte da “reserva orçamentária”, no valor de 809 milhões. Um dos principais bloqueios já anunciados neste ano atingiu o Ministério da Educação, um congelamento na faixa de 5,8 bilhões. A medida gerou manifestações massivas em 15 e 30 de maio.

Em março, o governo já havia divulgado o contingenciamento de 29,7 bilhões em despesas previstas para este ano. A pasta da Educação foi a mais prejudicada, mas a Defesa e emendas parlamentares tiveram suas verbas reduzidas.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem