Governadores da Amazônia Legal lamentam suspensão de recursos europeus

Após decisões de Bolsonaro, governos estaduais querem dialogar diretamente com países financiadores de projetos na Amazônia

Foto: Fernando Augusto/Ibama

Foto: Fernando Augusto/Ibama

Política

Governadores do bloco Amazônia Legal lamentaram que decisões do governo brasileiro tenham desencadeado na suspensão de financiamento internacional por Alemanha e Noruega a projetos de preservação da Amazônia. A posição foi divulgada em nota pelo governador do Amapá, Waldez Góes (PDT), no domingo 18.

Góes preside o Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal, composto pelos governadores do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. Segundo a nota, o presidente da República, Jair Bolsonaro, já foi informado sobre o desejo do grupo em dialogar diretamente com as embaixadas da Noruega, Alemanha e França.

O texto diz que os governadores são “defensores incondicionais do Fundo Amazônia” e que o Banco Amazônia deve ser o gestor financeiro do Fundo, já que a instituição financeira possui sede em todas as unidades do bloco. “O bloco amazônico lamenta que as posições do governo brasileiro tenham provocado a suspensão dos recursos”, afirma o grupo.

O documento é divulgado após a ministra do Meio Ambiente da Alemanha, Svendra Schulze, anunciar o congelamento do repasse de 155 milhões de reais para projetos de preservação da Amazônia. Em entrevista ao jornal alemão Tagesspiegel, publicada em 10 de agosto, Schulze expôs temor em relação às políticas ambientais adotadas pela atual gestão.

“A política do governo brasileiro na Amazônia levanta dúvidas sobre se uma redução consistente das taxas de desmatamento ainda está sendo perseguida”, afirmou Schulze. Ela diz que o país europeu só deve retomar a cooperação quando as estratégias do governo estiverem claras.

Em 15 de agosto, a Noruega também suspendeu a contribuição de 133 milhões de reais que seriam destinados ao Fundo Amazônia. No domingo 18, o presidente Jair Bolsonaro publicou um vídeo nas redes sociais em ataque aos noruegueses, em que acusa o país europeu de patrocinar a “matança de baleias”. No entanto, as imagens do vídeo foram gravadas nas Ilhas Faroé, território da Dinamarca.

“Em torno de 40% do Fundo Amazônico vai para as… ONGs, refúgio de muitos ambientalistas. Veja a matança das baleias patrocinada pela Noruega”, escreveu o presidente da República.

Confira na íntegra a nota do governador Waldez Góes (PDT):

NOTA À IMPRENSA

Sobre a suspensão dos recursos da Alemanha e Noruega para o Fundo Amazônia, o Governador do Amapá, Waldez Góes, na condição de presidente do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal, esclarece que:

1 – O bloco amazônico lamenta que as posições do governo brasileiro tenham provocado a suspensão dos recursos. Nós, governadores da Amazônia Legal, somos defensores incondicionais do Fundo Amazônia.

2 – Já informamos oficialmente ao Presidente da República, e às Embaixadas da Noruega, Alemanha e França, através de audiência e durante o Fórum em Palmas (TO), que o Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal estará dialogando diretamente com os países financiadores do Fundo.

3 – No Planejamento Estratégico do Consórcio temos compromisso integral com o Desenvolvimento Sustentável. Somos radicalmente contra qualquer prática ilegal de atividades econômicas na região. No âmbito de nossas atuações, estamos firmes e vigilantes no combate e punição aos que querem atuar fora da lei. Por isso, estamos cobrando do Governo Federal o combate e a punição das atividades ilegais.

4 – Os governantes do bloco amazônico desejam participar diretamente das decisões para reformulação das regras do Fundo Amazônia, que estão sendo feitas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Queremos, ainda, que o Banco da Amazônia passe a ser o gestor financeiro do Fundo, em razão da proximidade da instituição financeira com os Estados, já que o Banco da Amazônia possui sede em todas as unidades do bloco.

5 – O Governo Federal sinalizou positivamente para uma agenda com os governadores dos Estados membros do Consórcio de Desenvolvimento da Amazônia Legal para tratar do Fundo Amazônia e outros temas relacionadas à política de Meio Ambiente.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem