“Essa crueldade termina aqui”, diz Gleisi sobre possível soltura de Lula

Declaração ocorre após STF adotar posição contrária à prisão após condenação em 2ª instância; decisão pode soltar ex-presidente petista

A presidente do PT, Gleisi Hofmann. (Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)

A presidente do PT, Gleisi Hofmann. (Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)

Política

A presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR), comemorou a decisão Supremo Tribunal Federal (STF) em adotar postura contrária à prisão após condenação em 2ª instância. Após julgamento do STF, nesta quinta-feira 7, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pode ser solto.

“A decisão do STF é muito importante para fortalecer a democracia e a Constituição, no momento em que são ameaçadas pelo governo de extrema-direita no Brasil”, escreveu a deputada. “A decisão é também o reconhecimento, depois de 1 ano e 7 meses, de que o ex-presidente Lula ficou preso durante todo esse período de forma ilegal, por uma decisão política.”

A presidente do partido pediu ainda que a sentença do ex-juiz Sergio Moro, hoje ministro da Justiça do governo de Jair Bolsonaro (PSL), seja reconhecida como ilegal.

“Essa crueldade termina aqui, mas seguiremos lutando pela verdadeira justiça, que só virá quando for anulada a sentença ilegal de Sergio Moro. Lula merece justiça por inteiro”, disse.

Gleisi está em Curitiba, no Paraná, reunida com a Vigília Lula Livre, onde apoiadores se manifestam em favor da soltura do ex-presidente. Em transmissão ao vivo nas redes sociais com demais manifestantes, a parlamentar celebrou a decisão do STF e criticou Moro.

“Esse juiz tem suspeição e fez julgamento viciado e político sobre o presidente Lula”, afirmou.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem