Política

Em cenário de coronavírus, Doria diz que eventos em SP estão mantidos

Governador diz que não há razão para pânico e que decisões são sanitárias e não políticas

O governador de São Paulo, João Doria Jr (Foto: Governo do Estado de São Paulo)
O governador de São Paulo, João Doria Jr (Foto: Governo do Estado de São Paulo)

O governador do Estado de São Paulo, João Doria, declarou nesta quinta-feira 12 que, até o momento, não há razão para pânico ou medidas extremadas diante os casos de coronavírus. São Paulo contabiliza o maior número de casos do País, 30. Ainda de acordo com o governador, não há recomendação para o cancelamento de eventos públicos.

“Neste momento, não há recomendação para o cancelamento de eventos públicos, independentemente do número de pessoas, seja no esporte, entretenimento ou conteúdo. Apenas pessoas com mais de 55 anos, que configuram grupo de risco, cabe a recomendação que evitem. Não temos decisões políticas, mas sanitárias”, declarou o governador.



No próximo domingo, 15 de março, não apenas São Paulo, mas demais estados do País, devem ser palco de manifestações em apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Atos da oposição também são esperados para o dia 18 deste mês.

Novas medidas de combate

Doria também anunciou, juntamente com o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, e o infectologista David Uip, responsável pelo Centro de Contingência do Coronavírus, novas medidas de combate à proliferação do Covid-19. Entre as ações, foram citadas a disponibilização de mais de mil leitos de UTI, compra de 20 mil kits de diagnósticos, além da solicitação de investimentos ao governo federal. O aumento de cuidados com pessoas que tenham mais de 60 anos também foi citado entre as estratégias.

Ainda de acordo com Uip, “o Estado está pronto para qualquer nível de enfrentamento do coronavírus”. As estratégias de enfrentamento, declarou, são traçadas diante de cenários de contaminação que variam de 1 a 10% da população. Na conta, 1%  representaria 260 mil pessoas infectadas no estado. No pior cenário, de 10%, São Paulo teria mais de 2,5 milhões de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!