Política

Em Abu Dhabi, Bolsonaro diz que Brasil precisa se rearmar

Para o presidente, País deixou de investir em Defesa para quebrar “espinha dorsal” das Forças Armadas,“o grande obstáculo para o socialismo”

Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante chegada à cidade de Abu Dhabi, para visita oficial aos Emirados Árabes Unidos. Foto: Clauber Cleber Caetano/PR
Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante chegada à cidade de Abu Dhabi, para visita oficial aos Emirados Árabes Unidos. Foto: Clauber Cleber Caetano/PR

Durante um compromisso oficial neste sábado 26 em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que o Brasil descuidou do setor de Defesa “por ideologia”. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

“O Brasil foi esquecido nessa área desde o governo Fernando Henrique Cardoso. Por quê? Voltando agora à ideologia, nós somos o grande obstáculo para o socialismo, nós das Forças Armadas. Por isso interessava quebrar nossa espinha dorsal”, disse.

Segundo Bolsonaro, o Brasil tem que se rearmar para poder se defender. “Ninguém quer um Brasil extremamente belicoso, mas precisamos ter um mínimo de poder de dissuasão.”

Em seu primeiro evento oficial nos Emirados, o presidente fechou dois acordos de cooperação em Defesa. Ainda não há detalhes sobre o conteúdo dos negócios.

O governo tem interesse em vender para os árabes aviões da Embraer, além de querer atrair investimentos para privatização e obras de infraestrutura no Brasil.

CartaCapital

CartaCapital

Tags: , ,

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!