CartaExpressa

‘Democracia não é só o povo gritar que está com fome, ele tem que comer’, diz Lula

Em evento com personalidades da sociedade civil na capital paulista, o ex-presidente falou sobre a importância da população voltar a exercitar a democracia

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

Nesta segunda-feira 10, o ex-presidente Lula (PT) se reuniu com 56 personalidades da sociedade civil durante a campanha em São Paulo para o segundo turno das eleições presidenciais . 

O evento teve a participação de políticos, acionistas, economistas e ex-ministros, como Tereza Campello, três ex-presidentes do PSDB, Aloysio Nunes, José Aníbal e João Pimenta da Veiga Filho

Além da participação do alto empresariado, um dos que registraram presença no comício, foi Paulo Marinho, ex-aliado do presidente Jair Bolsonaro (PL) e atual filiado ao PSDB e suplente do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ).  

Em seu discurso, o ex-presidente ressaltou a importância da participação da sociedade, sobretudo daqueles presentes, para reconstruir o País.  

“A gente vai recuperar esse país fazendo com que a sociedade brasileira exercite a democracia”, afirmou.  

“E a gente tem que ter cuidado quando a gente fala a palavra democracia, nós temos que saber que a palavra democracia ela tem que ser direta. A democracia não é só o povo gritar que está com fome, ele tem que comer. Não é só ele gritar que quer morar, ele tem que morar porque senão a democracia perde sentido, fica muito vazia”, completa. 

Também estiveram presentes representantes das entidades de educação, como Priscila Cruz, presidente do Todos pela Educação, Claudia Costin, professora da Fundação Getúlio Vargas e ex-secretária Municipal de Educação no Rio de Janeiro e Neca Setubal, socióloga e bancária brasileira. 

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo