Política

Datafolha: Religiosidade de candidato é o que menos importa para definir o voto paulistano

Segundo os entrevistados, conhecer a cidade de São Paulo é o principal fator para a escolha de um candidato na cidade

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB) participa da 32ª Marcha para Jesus. Foto: Reprodução/ Redes sociais
Apoie Siga-nos no

A religiosidade de um candidato é o fator menos importante para definir o voto do eleitorado paulista nas eleições municipais em 2024. É o que revela detalhes da nova pesquisa DataFolha.

Segundo os entrevistados, conhecer a cidade de São Paulo é o principal fator para a escolha de um candidato na cidade. Entre as opções, o item ganhou nota média de 9,2 de relevância no voto, enquanto a religiosidade foi a qualidade menos essencial com nota de 5,6.

Embora seja considerado o item menos relevante, esse ainda é um fator decisivo para o segmento evangélico, que compõe até 28% do eleitorado na capital. A religiosidade tem sido uma das ‘qualidades’ mais explorada pela direita nos últimos anos, principalmente nas eleições envolvendo o ex-presidente Jair Bolsonaro, e ainda pode reunir uma parcela significativa para o candidato e atual prefeito Ricardo Nunes (MDB), que participa da ‘Marcha para Jesus’ nesta quinta-feira 30.

A pesquisa contratada pela Folha de SP ocorreu entre a segunda-feira 27 e a terça-feira 28, onde ouviu 1.092 pessoas no trabalho e foi registrada sob o número SP-01845/2024 na Justiça Eleitoral, com margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos.

De acordo com o levantamento, os três pontos mais importantes para o paulistano são: conhecer bem a cidade (9,2), nunca ter se envolvido em casos de corrupção (8,9) e o programa de governo do candidato (8,8). A pesquisa avalia os fatores em uma escala de 0 a 10, onde 0 é nada importante e 10 equivale a muito importante.

Confira todos os fatores elencados:

Conhece bem a cidade (9,2);

  • Nunca tenha se envolvido em casos de corrupção (8,9);
  • O programa de governo do candidato (8,8);
  • Tenha experiência administrativa (8,7);
  • Tenha um passado político conhecido (8,2);
  • Tenha trajetória política (8);
  • Tenha a mesma posição política que a sua (8);
  • A escolha do vice-prefeito (7,8);
  • Seja carismático/a (7,3);
  • Tenha o apoio do governador (6,8);
  • Tenha o apoio do presidente (6,7);
  • Seja religioso/a (5,6).

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo