Política

Comissão da Câmara aprova mudança de nome de guarda municipal para polícia municipal

O texto, relatado por Delegado da Cunha (PP-SP), ainda tem de ser avaliado pela Comissão de Constituição e Justiça

O deputado federal Delegado da Cunha. Foto: Renato Araujo/Câmara dos Deputados
Apoie Siga-nos no

A Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados aprovou um projeto de lei que muda a denominação das guardas municipais para polícias municipais. Assim, os integrantes dessas corporações passam a ser chamados de policiais municipais.

O parecer do relator, deputado Delegado da Cunha (PP-SP), reúne dois projetos semelhantes. O substitutivo altera o Estatuto Geral das Guardas Municipais.

“Os guardas municipais já são detentores do poder de polícia administrativa e, dessa forma, nada mais justo do que chamá-los de policiais municipais”, alegou o ex-deputado Nereu Crispim, autor da proposta original aproveitada pelo relator.

Com a incorporação de outro texto, apresentado pelo deputado Sargento Portugal (Podemos-RJ), o substitutivo também assegura ao guarda municipal aposentado a posse de uma arma de fogo da corporação, mediante cautela renovável a cada 12 meses.

Perderá esse benefício quem adquiriu antes uma arma da corporação ou teve a aposentadoria cassada, foi preso ou foi impedido pela Justiça de ter posse ou porte. Já quem perder ou tiver a arma roubada responderá a uma sindicância e terá de ressarcir o prejuízo.

A proposta tramita em caráter conclusivo, ou seja, passará apenas pelas comissões designadas para analisá-la, a não ser que pelo menos 52 deputados peçam para levar a dicussão ao plenário. O texto ainda tem de ser avaliado pela Comissão de Constituição e Justiça.

(Com informações da Agência Câmara)

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.