Mundo

Carlos Bolsonaro critica Macron e o chama de “Doria francês”

O filho 02 de Bolsonaro saiu em defesa do pai, criticado por líderes mundiais pelas políticas referentes às queimadas na Amazônia

Após o presidente da França, Emmanuel Macron, criticar o presidente Jair Bolsonaro pelas políticas adotadas pelo pesselista referente às queimadas na Amazônia, o filho 02 do chefe do Executivo foi ao Twitter reclamar da atitude do europeu.

Segundo Carlos, “o povo venezuelano é massacrado por um ditador comunista e o Dória francês e seus amigos não dão um pio”. O vereador comparada o presidente da França com o governador do Estado de São Paulo, João Doria.

Eduardo escreveu o nome do governador errado, já que Doria não possui acento. Além disso, Carlos não explicou porque Macron seria o Doria francês.

Após o presidente Macron acusar Bolsonaro de ter mentido sobre o clima no G20 e afirmar que a França se opõe ao acordo UE-Mercosul, Alemanha, Irlanda e Canadá saíram em defesa do líder francês e também criticaram o governo brasileiro.

Família Bolsonaro unida contra ataques

Desde que as queimadas na Amazônia começaram a se intensificar, Bolsonaro e seu governo vêm se defendendo utilizando argumentos falsos para justificar o ocorrido. Na semana passada o presidente chegou a dizer, sem qualquer prova, que a culpa do fogo na floresta era das ONGs que perderam dinheiro e faziam isso em forma de protesto.

Conforme a gravidade do ocorrido foi aumentando, outros países começaram a se pronunciar sobre a destruição da maior floresta tropical do planeta. O primeiro foi o líder da França e depois Alemanha, Canadá, Irlanda, Noruega e até Reino Unido.

E desde então, a família Bolsonaro vem utilizando o Twitter  para se defender das críticas, sempre utilizando argumentos sem provas. O próprio presidente chamou a França de um país colonial. Para Bolsonaro, a atitude de Macron “evoca mentalidade colonialista descabida no século XXI.”

O deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho 03 do presidente, afirmou que a reação dos países é a esquerda mundial unida e compartilhou um vídeo que chama Macron de idiota. Eduardo concorre uma vaga para ser embaixador do Brasil nos EUA.

Já o filho 01, o senador Flávio Bolsonaro, se limitou a dizer que França, ao criticar seu pai, está interessada na floresta Amazônia.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!