Política

Bolsonaro zomba de jornalistas: “Não estão com medo do coronavírus?”

Presidente ridicularizou profissionais da imprensa que saem para trabalhar em meio à pandemia: “Vai para casa”

Presidente fez chacota de jornalistas na entrada do Palácio da Alvorada. Foto: Reprodução
Presidente fez chacota de jornalistas na entrada do Palácio da Alvorada. Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro fez chacota de jornalistas que aguardavam sua passagem na entrada do Palácio da Alvorada, em Brasília, nesta quinta-feira 26. Segundo Bolsonaro, os profissionais da imprensa se contradizem ao recomendar que as pessoas fiquem em casa na crise do coronavírus, enquanto eles saem para trabalhar.

Mas o próprio presidente da República decretou, em 22 de março, que a atividade jornalística é “serviço essencial” e que o funcionamento dos veículos de comunicação deve ser mantido, para garantir a difusão das informações à população em meio à pandemia.

Apesar de ele mesmo ter sido autor da inclusão da imprensa na lista de 35 atividades essenciais, Bolsonaro filmou os repórteres em seu aguardo e tirou sarro.

“Atenção, povo do Brasil. Esse pessoal diz que eu estou errado e você tem que ficar em casa. Agora eu pergunto: o que vocês estão fazendo aqui? O que vocês estão fazendo aqui? Não estão com medo do coronavírus, não? Vão para casa. Todo mundo sem máscara”, afirmou, contrariando a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de que somente pessoas com sintomas do coronavírus usem máscaras.

Aguardar Bolsonaro na entrada do Palácio da Alvorada virou uma rotina entre jornalistas, que não era adotada em gestões anteriores. O ato virou costume porque o presidente passou a parar no local para cumprimentar apoiadores e, frequentemente, ceder entrevistas coletivas para fazer anúncios ali mesmo.

Em nota, associações de jornais repudiaram a ridicularização dos profissionais da imprensa. A Associação Nacional de Editores de Revistas (ANER) e a Associação Nacional de Jornais (ANJ) manifestaram “indignação e perplexidade” com a atitude do presidente.

Confira a nota na íntegra:

A Associação Nacional de Editores de Revistas (ANER) e a Associação Nacional de Jornais (ANJ) reagem, com indignação e perplexidade, a mais uma provocação do presidente Jair Bolsonaro à imprensa que, no cumprimento de seu dever para com o público, mantém plantão na entrada do Palácio da Alvorada, em Brasília.

Todos os representantes de veículos de comunicação, como quaisquer outros de serviços essenciais, desejariam estar recolhidos em isolamento com suas famílias neste momento de calamidade pública. No entanto, a imprensa tem consciência de que deve, mais do que nunca, seguir no trabalho de informar a população.

A triste provocação do presidente escarnece de todos aqueles que colocam a saúde em risco para prestar um serviço essencial aos brasileiros. As associações reafirmam que os veículos de comunicação brasileiros seguirão cobrindo todos os fatos relevantes para o país, atuando de forma construtiva para que, juntos, derrotemos o novo coronavírus.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!