Bolsonaro tira a obrigatoriedade do uso de máscaras em presídios

Agora, estabelecimentos também não precisarão mais ter cartazes que orientam sobre o uso correto do equipamento de proteção

Presidente Jair Bolsonaro. Foto: PR

Presidente Jair Bolsonaro. Foto: PR

Política

O presidente Jair Bolsonaro ampliou nesta segunda -feira 06 os vetos à lei que torna obrigatório o uso de máscaras durante a pandemia do novo coronavírus.

A partir de agora, não é mais indispensável usar o equipamento de proteção em presídios e em estabelecimentos de cumprimento de medidas socioeducativas.

Além disso, o presidente tirou a obrigatoriedade de estabelecimentos terem que fixar cartazes informando sobre o uso correto de máscaras.

Na sexta-feira 3, Bolsonaro já havia feito diversos vetos ao projeto de lei aprovado pelo Congresso em 9 de junho.

 

Na justificativa do veto, o governo diz que a matéria já vem sendo regulamentada por normas do trabalho que abordam a especificidade da máscara e a necessidade de cada setor ou atividade.

Embora seja uma lei federal, os estados continuam com autonomia para estabelecer regras sobre o uso de máscaras em seus territórios. Agora, deputados e senadores devem decidir em votações se aceitam ou se derrubam os vetos de Bolsonaro.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem