“Só há democracia se as Forças Armadas quiserem”, diz Bolsonaro

Presidente afirmou, também, que vai governar apenas ao lado daqueles que respeitam a família e possuem ideologia semelhante à dele

José Cruz/Agência Brasil

José Cruz/Agência Brasil

Justiça,Política

A metralhadora de polêmicas do presidente Jair Bolsonaro voltou a disparar declarações controversas nesta quinta-feira 7. Em discurso na cerimônia no 211º aniversário do Corpo de Fuzileiros Navais, no centro do Rio de Janeiro, o presidente afirmou que “democracia só existe se as Forças Armadas quiserem”.

A declaração fere a Constituição Federal que, depois de 21 anos de ditadura militar, foi escrita garantindo a democracia no país. Bolsonaro afirmou, também, que vai governar “apenas ao lado daqueles que respeitam a família” e possuem ideologia semelhante à dele.

“A missão será cumprida ao lado das pessoas de bem do nosso Brasil, daqueles que amam a pátria, daqueles que respeitam a família, daqueles que querem aproximação com países que têm ideologia semelhante à nossa, daqueles que amam a democracia. E isso, democracia e liberdade, só existe quando a sua respectiva Força Armada assim o quer”, afirmou.

Leia também: Bolsonaro elogia militares da Ditadura e brada: "Esquerda nunca mais"

Bolsonaro fez um discurso rápido, mas citou o projeto de Reforma da Previdência do seu governo,  que aguarda votação no Congresso Nacional, e garantiu que os militares serão incluídos. “Entraremos numa nova Previdência em que entrarão os militares, mas não esqueceremos as especificidades de cada Força”, defendeu.

Leia também: Ministro de Bolsonaro usa nazismo para rebater jornalista alemão

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem