Política

Bolsonaro reforça restrição a convite para ato: ‘Na Paulista, apenas’

O pedido para que os manifestantes se reúnam em um único lugar, sem faixas ou cartazes, sugere temor por parte do ex-presidente

Foto: Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) divulgou mais um vídeo em suas redes sociais, nesta sexta-feira 16, para reforçar a convocação de seus apoiadores para ato agendado para o dia 25 de fevereiro, na avenida Paulista, em São Paulo.

Na nova mensagem, Bolsonaro pede aos apoiadores que não se reúnam em nenhum outro município, visando agrupar o maior número de pessoas na capital paulista.

“Colaborem conosco, é uma grande fotografia, um momento ímpar, para mostrarmos para o mundo, de verde e amarelo, sem faixas e sem cartazes, o que nós queremos, que é Deus, pátria, família e liberdade”, completou.

O pedido para que os manifestantes se reúnam em um único lugar, sem faixas ou cartazes, sugere temor por parte do ex-presidente.

O ex-capitão ainda ressaltou que o movimento seria em defesa da democracia.

“Está agendado para o próximo dia 25, domingo, às 3h da tarde, um grande encontro na Paulista. Um movimento sério, disciplinado, pacífico, pelo nosso Estado democrático de direito, pela nossa liberdade”, diz no vídeo.

O ato tem sido visto como uma tentativa de demonstração de força do ex-presidente após se alvo de uma operação da Polícia Federal que investiga a sua participação na tentativa de Golpe.

No evento, Bolsonaro ainda planeja apresentar sua defesa do que chama de “acusações imputadas à sua pessoa”. Na prática, há dúvidas sobre o que o ex-presidente espera obter da mobilização e o impacto que o evento pode gerar.

Aliados de primeira hora do ex-presidente Jair Bolsonaro parecem não querer apoiar ou engajar as convocatórias do ex-capitão para o ato.

Apenas 4 entre 20 lideranças, consultadas pela Folha de S. Paulo, que estiveram com o ex-presidente nas eleições de 2022, confirmaram ao jornal que compareceram ao evento. Os demais, silenciaram.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo